domingo, 22 de janeiro de 2012

Poesia concreta nos relógios de SP


Cidades se inventam e reinventam. O mundo não é um lugar comum. Tempos atrás, a cidade de São Paulo resolveu colocar poesias concretas em alguns de seus relógios de rua. Bom para a cidade. Bom para os olhos de quem confere o antes, o durante e o depois.


Referências Conexas

CAMPOS, Haroldo de; PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Augusto de. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos de 1950-1960. São Paulo: Ateliê Editorial, 2006.

PETER, Middleton. Distant reading: performance, readership, and consumption in contemporary poetry. Tuscaloosa: University of Alabama Press, 2005.

Um comentário:

  1. Parabéns pela estrutura e conteúdo de seu blog, forte abraço, Renato artesanato em mdf

    ResponderExcluir